segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

09 DE JANEIRO DE 2012, DIA DO FICO PARA A EDUCAÇÃO DE CABEDELO.


LOGO APÓS AS FOTOS ABAIXO, ENCONTRA-SE O RELATO DA REUNIÃO REALIZADA COM A SECRETARIA ADJUNTA DA EDUCAÇÃO, PROFESSORA MÁRCIA FIGUEIREDO DE LUCENA, A DIRETORA DA ESCOLA IMACULADA CONCEIÇÃO, PROFESSORA FÁTIMA PEIXOTO E  DEMAIS INTEGRANTES DA COMISSÃO CABEDELENSE QUE DEFENDE A PERMANÊNCIA DO FUNCIONAMENTO DA ESCOLA IMACULADA CONCEIÇÃO DURANTE O ANO LETIVO DE 2012.


                     







RELATO DA REUNIÃO
Nesta segunda-feira, dia 09 de Janeiro de 2012, às 10:30 hora realizou-se uma reunião na Secretaria da Educação do Estado da Paraíba, com a participação da Secretaria Adjunta da Educação do Estado, Márcia Figueiredo de Lucena, a equipe técnica pedagógica da 1º Região de Ensino, o deputado estadual Trocolli Júnior que agendou a referida reunião, com a participação do Vice-Prefeito de Cabedelo, Dr. Sebastião Plácido de Almeida (PcdoB) e de Marcos Patrício (PSB).
Também se fizeram presentes à Comissão que luta pela permanência das atividades da Escola Estadual do Ensino Fundamental Imaculada Conceição para que ela não feche as suas portas aos estudantes cabedelenses. A comissão formada por Fátima Peixoto (Diretora); Auzélia Marinho Batista (Presidente do Conselho da Escola); Marilete Dantas (Professora Polivalente e Funcionária); João Batista Viana (Professor do Ensino Fundamental II), além do ex-aluno e professor Osvaldo da Costa Carvalho (Presidente da Fundação Fortaleza de Santa Catarina) e ainda a participação o professor Tadeu Patrício, representando a Associação Cabedelense para Cidadania - ACICA.
Antes de fazer um relato dos fatos ocorridos na referida reunião e as propostas surgidas ao término da audiência, se faz necessário observarmos um fato curioso que aconteceu na história da Independência do Brasil, no dia 09 de Janeiro de 1822. Coincidência ou não esta data marcou o dia do domínio português e a conquista da autonomia política do Brasil sobre o reino de Portugal, mais conhecido como o dia do Fico. Assim como no passado aconteceram várias tentativas para transformar o Brasil em uma nova colônia portuguesa, as Cortes Gerais e Extraordinárias da Nação Portuguesa insistiam na idéia em recolonizar o Brasil, exigindo o retorno de imediato do Príncipe Dom Pedro I fato que causou indignação aos brasileiros, inclusive a morte de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, que foi executado pela coroa portuguesa por defender a liberdade de nosso país, durante o processo da Inconfidência Mineira.
Aqui na Paraíba séculos depois, o Governo do Estado, quer promover a qualidade do ensino público sem uma ampla discussão com a sociedade civil organizada, sem promover o debate com as categorias da educação paraibana. Só que no caminho disso tudo existe uma cidade que tem “um povo que não sabe ser vencido”Cabedelo. E exatamente nesta data de 09 de Janeiro de 2012, o povo de Cabedelo foi até a Secretaria da Educação do Estado, pedir que a Escola Estadual Imaculada Conceição, FIQUE. Pois ela representa um símbolo na história da educação do povo ordeiro de Cabedelo.
A reunião iniciou com a palavra da secretária adjunto da educação do estado, professora Márcia Figueiredo de Lucena que fez um relato dos principais problemas administrativos da escola estadual Imaculada Conceição, conforme dados de relatórios encaminhados por técnicos da 1º Região de Ensino. O exemplo: o Alto índice de evasão escolar; número baixo de alunos matriculados; que o prédio era alugado a Arquidiocese da Paraíba, por isso o governo do estado encontrava-se impossibilitado de fazer qualquer reforma na escola, uma vez que o prédio não pertence ao estado; que se a escola vier a desabar sobre a cabeça dos alunos por falta de estrutura física ou mesmo uma reforma, o ministério público vem encima do governo do estado. Também questionou que a escola tem pendências em prestações de contas de gestões passadas. Ainda criticou a atitude da direção da escola na tentativa de jogar a sociedade cabedelense contra o governo estadual, criando mobilizações de reuniões na própria escola, colocar faixa com chamamento de matrículas abertas, quando a diretora sabia que a escola iria fechar as portas. Criticou também porque a direção da escola não acatou as decisões administrativas da secretária da educação que é uma decisão de governo, fundamentada na orientação do governador de promover o ordenamento nas escolas do Estado da Paraíba.
Depois a palavra foi facultada para a diretora da escola, professora Fátima Peixoto, que fez suas colocações com bastante equilíbrio, onde relatou a forma como encontrou a Escola Imaculada Conceição logo no início de sua gestão em 2009 e as dificuldades por ela encontradas, desde a falta de apoio da Secretaria da Educação do Estado, tanto no governo anterior como no atual governo. Que todas as vezes que procurou a Secretaria da Educação do Estado para resolver algum problema da escola, só encontrava portas fechadas e a palavra NÃO para tudo. Havia dificuldade até para se conseguir material de limpeza, papel ofício e até giz para escola que são coisas básicas e indispensáveis no dia a dia da escola. E em casos como este como fica a alta estima dos profissionais da educação? Como poderemos levantar a alta estima, as angustias dos nossos professores e funcionários chegando à escola desmotivada também com as ações administrativas da Secretária da Educação que não dá o apoio a nós diretores e não atendem as necessidades da escola, como cada uma bem merece nas suas reivindicações justas. Só cobrança e mais cobrança é o que encontramos.
Depois a professora Márcia Figueiredo de Lucena botou um ponto nos “is” como ela bem disse: “a agora quem vai falar sou eu diretora”: e fez algumas observações nos comentários da professora Fátima Peixoto, que final mais tranqüila reconheceu o esforço da diretora Fátima Peixoto, onde afirmou categoricamente que sua equipe também reconhecia o esforço da direção em tentar encontrar um caminho para a melhoria da qualidade do ensino na Escola Imaculada Conceição.
Em seguida a palavra foi facultada para o professor Osvaldo da Costa Carvalho e Marcos Patrício que fizeram um relato histórico da importância da Escola Estadual Imaculada Conceição para Cabedelo. – “A Imaculada Conceição está historicamente para Cabedelo, assim como o Lyceu paraibano está para João Pessoa. Imagine o Lyceu Paraibano ter que fechar as portas porque há evasão escolar sem que a secretaria da educação promova um debate com a sociedade, principalmente o corpo docente daquela escola”. A partir daí a ficha caiu para a secretaria adjunta da educação, professora Márcia Figueiredo Lucena, onde se percebeu que nesse processo não havia dito uma reunião com a comunidade escola anteriormente para uma avaliação mais aprofundada dos reais problemas que estava enfrentando a Escola Imaculada Conceição e tomar outras medidas e não propor o fechamento da escola Imaculada Conceição. E a partir daí a reunião tomou outro rumo, mais harmoniosa em busca de encontrar as soluções mais justas para o caso Imaculada Conceição.
Em seguida a palavra foi facultada para o deputado estadual Trocolli Júnior que reforçou as palavras de Marcos Patrício e do professor Osvaldo da Costa Carvalho, professor Tadeu Patrício, quanto á importância do simbolismo da Escola Imaculada Conceição para a educação de Cabedelo, que concordava com a idéia por eles apresentadas, que o estado poderia fazer uma desapropriação do imóvel e construir naquele espaço uma escola modelo para Cabedelo. Por que não?
Depois falou o Vice Prefeito de Cabedelo, Sebastião Plácido de Almeida, que informou a secretaria adjunta, que logo no início do governo Ricardo Coutinho em 2010, havia ficado conjuntamente com Marcos Patrício de fazer um levantamento da real situação das escolas públicas estaduais de Cabedelo, desde problema das condições do prédio até as necessidades de funcionários para as escolas funcionassem bem. E que todo esse relatório foi entregue na própria secretaria da educação nos primeiros meses do governo Ricardo Coutinho. Mas que até agora não sabe o destino que tomou o referido relatório.
Mas antes de encerrar a reunião, o professor Tadeu Patrício pediu a palavra e reivindicou da secretaria adjunta da educação, para que a escola não fosse fechada, que uma nova chance fosse dada a Escola Imaculada Conceição, onde a Secretaria da Educação pudesse dar apoio durante o ano letivo de 2012, após isto, avaliar com mais prudência o trabalho realizado pelos educadores durante o ano letivo, já que a escola tem trabalho com alunos altamente carentes, desmotivados e rejeitados da sociedade e das escolas públicas de Cabedelo, que são excluídos logo no ato da matricula. O maior problema da evasão escolar é que muitos pais não matriculam seus filhos na Escola Imaculada Conceição pela falta de estrutura física da escola e a falta de segurança que existem. Se o Estado estiver mais presente na escola o quadro de evasão escola com certeza será invertido. Basta uma atenção maior por parte do governo para solucionar esse caso.
A reunião foi encerrada com a palavra a secretaria adjunta da educação, Márcia Figueiredo de Lucena, que afirmou que a Instituição Imaculada Conceição continuaria, que a escola poderia continuar fazendo as matrículas dos alunos, mas conscientizando que poderia haver a possibilidade de transferências para outras unidades de ensino estadual mais próxima da escola. Por fim disse que não tinha autonomia de finalizar o assunto, pois era necessário conversar com o Governador Ricardo Coutinho ainda esta semana, que até sexta-feira próxima ou mesmo antes teria uma definição do caso da Escola imaculada Conceição. E citou os pontos de pautas que seriam tratados com o governador:
1º - OPÇÃO - A possibilidade do Governo do Estado desapropriar o imóvel que pertence a Arquidiocese da Paraíba;
2º - OPÇÃO - Que o Estado coloque o nome da Escola Imaculada Conceição na Escola José Guedes Cavalcanti, além de providenciar as transferências dos alunos ali matriculados para a Escola José Guedes, João XXIII e outras unidades de ensino existentes em Cabedelo;
3º - Averiguar se o prédio onde funciona a Escola João XXIII pertence ao Estado ou a Arquidiocese da Paraíba.

Deixe seu comentário. Grato!


3 comentários:

  1. OLá Tadeu! Só posso parabenizar a você, a diretora fátima e demais defenores na luta pelo "Dia do Fico para a Educação de Cabedelo". Élamentável a postura dos dirigentes estaduais, pensar que está descisão caminhará para a melhora do Ensino, na vedade não estão nem um pouco preocupados, com adaptação,deslocamento dos alunos e dos professores, uma decisão caótica, um transtorno , quando na verdade deveria ser um esforço pra colocar em dia as pendências pertinentes a referida Escola e tocar o barco. Penso que esta erá mais uma decisão que apenas engorda a lista daqueles que não sentem mais atrativo pelo estudo, pelo conhecer, um engôdo discreto para o velho ditado: que menos sabe, menos pode reinvindicar.
    Parabéns a toda a equipe envolvida nessa Luta justa e merecida!

    Meua bç!
    Diná Fernandes

    ResponderExcluir
  2. A Tadeu e Marcos Patrício meus cumprimentos pela luta em defesa da Escola Imaculada, berço da educação e da cultura de nossa cidade portuária.

    Fernando Abath Cananéa

    ResponderExcluir