quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

TRIBUTO A ELIS REGINA – 30 ANOS DE SUA MORTE

ELIS REGINA É CONSIDERADA PELA CRÍTICA NACIONAL COMO UMA DAS MELHORES CANTORAS DE TODOS OS TEMPOS.                                 

Elis Regina

BIOGRAFIA: Nascida em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, no dia 17 de Março de 1945. Se viva estivesse completaria seus 67 anos. A gaúcha Elis Regina, é do signo de peixe e começou sua carreira aos 11 anos, em um programa de rádio para as crianças. Aos 16 lançou seu primeiro disco, mas foi na década de 60 que a cantora, de 1m53cm de altura, tornou-se a grande estrela como até hoje é lembrada, com uma presença de palco inconfundível: graças ao costume de mexer os braços e a emoção com que cantava, recebeu o apelido de carinhoso de Elis a Pimentinha.

Em 1965, foi a grande revelação do Festival da TV Excelsior em São Paulo, quando cantou "Arrastão", música com a qual conquistou o Brasil e, no final da década, se lançou no exterior, conquistando o público europeu e tornando-se a primeira artista a se apresentar duas vezes no mesmo ano no Olympia, a mais antiga e famosa casa de espetáculos de Paris. 

Politicamente engajada, participou ativamente de movimentos contra à ditadura brasileira. Sua interpretação transformou a canção "O Bêbado e a Equilibrista", de João Bosco e Aldir Blanc, em hino da volta do exílio.

Com seu sucesso, Elis impulsionou a carreira de iniciantes como Fagner, Belchior, Ivan Lins, Milton Nascimento e João Bosco. Na década de 70 e início de 80 se consolidou-se como a maior cantora do Brasil e causou polêmica - foi nessa época que ela disse a famosa frase "Neste País só duas cantam, a Gal (Costa) e eu". 

O Projeto Viva Elis, encabeçado pelos filhos, reúne também uma exposição multimídia, com vídeos, fotos, discos, revistas, recortes de reportagens, roupas, objetos pessoais e acervo de documentos. Depois de rodar algumas cidades do País, a idéia é abrigar esse acervo no Instituto Elis Regina, que será criado em São Paulo, Rio de Janeiro ou Porto Alegre. Um livro também será escrito por Allen Guimarães, que reuniu pesquisas e entrevistas da cantora.
Chega às livrarias a quarta edição da biografia "Furacão Elis", escrita pela jornalista Regina Echeverria e publicada pela editora Leya. E até o fim do ano, deve ser lançada outra biografia da cantora, de autoria do jornalista Júlio Maria, com o apoio da família, que reprova algumas informações do livro de Regina, principalmente no que diz respeito à causa da morte de Elis. 

Entre os relançamentos musicais está a caixa "Elis Regina nos Anos 60", contendo 12 álbuns gravados pela cantora na primeira fase da carreira. Um segundo box também já está a caminho - como homenagem, a Universal Music pretende relançar 24 álbuns contendo toda a discografia da artista produzida pela gravadora.

Homenagens e mais homenagens:

 

Sósia - Atriz Hermilia Guedes
  Em função da data, homenagens à cantora começam a pipocar também na web e na TV. Entre elas está o "Som Brasil - Tributo a Elis Regina", que será exibido neste sábado, às 23h, e domingo, às 18h, pelo Canal Viva. Trata-se da reprise de um espetáculo que reuniu estrelas da MPB, em 1997, na casa de shows Metropolitan, no Rio, para relembrar músicas imortalizadas na voz da diva. Merecem destaque as participações de Ângela Maria, Nana Caymmi e Milton Nascimento - que divide o palco com os filhos de Elis, Pedro Mariano e João Marcelo Bôscoli, antes de Maria Rita assumir a carreira artística.
Considerada uma das melhores cantoras de todos os tempos, Elis Regina vendeu mais de 4 milhões de discos em seus 18 anos de carreira. Em 19 de janeiro de 1982, sua morte  chocou o país: Elis foi encontrada, no quarto de seu apartamento, vítima de uma overdose de álcool e cocaína

Nesta quinta-feira a morte de Elis Regina completa 30 anos. E, como não poderia deixar de ser, a data é marcada por uma série de homenagens, que inclui relançamento de CDs, a reedição de uma biografia clássica e show-tributo de sua filha Maria Rita, com produção de João Marcelo Bôscoli, seu outro filho.
Sósia de Elis Regina (Atriz Hermilia Guedes)
Homenagem do Movimento de Música Popular de Cabedelo - MUSIPOC, aos admiradores e fã clube dessa grande estrela da MPB.

Nesta sábado, dia 21 de Janeiro, sintonize na Rádio Kebramar FM, 104.9 no Programa Sala de Cultura, apresentado pelos comunicadores: Eduardo Moreira, Rumennigge Ferreira e Leila Viana, e escute os grandes sucessos da música nacional interpretrada na voz de Elis Regina.



No tempos do Festivais da TV Excelsion em 1965, quando cantou a música Arrastão de Vinicius de Moraes e Edu Lobo que lhe garantiu o título de 1º Lugar no Festival da Canção da Música Popular Brasileira. Seus grandes sucessos foram Falso Brilhante, Transversal do Tempo, Madalena, Como Nossos Pais, O Bêado e o Equilibrista, Quarelas do Brasil, É com Essa que Vou. Entre outros grandes sucesos.


Ao longo de toda sua carreira, cantou canções de músicos que na década de 60 não era conhecido do grande público como, Milton Nascimento, Ivan Lins, Renato Teixeira, Aldir Blanc, João Bosco, ajudando a lançá-los e a divulgar suas obras, impulsionando-os no cenário musical brasileiro. Entre outras parcerias, é célebre os duetos que teve com Jair Rodrigues, Tom Jobim, Simonal, Rita Lee, Chico Buarque—que quase foi lançado por ela não fosse Nara Leão ter o gravado antes, por fim, seu segundo marido, o pianista César Camargo Mariano, com quem teve os filhos Pedro Mariano e Maria Rita. Mariano também ajudou-a a arranjar muitas músicas antigas e dar novas roupagens a elas nos últimos discos da carreira artística.

Ela foi a primeira pessoa a inscrever a própria voz como se fosse um instrumento, na Ordem dos Músicos do Brasil. Elis Regina morreu precocemente em 1982, com apenas 36 anos, deixando uma vasta obra na música popular brasileira. Embora haja controvérsias e contestações, os exames comprovaram que havia morrido por conta de altas doses de cocaína e bebidas alcoólicas, e o fato chocou profundamente o país na época.

Para conhecer toda discografia de Elis Regina Clik aqui: http://www.vagalume.com.br/elis-regina/discografia/


CURTA AGORA ALGUMAS FOTOS DE ELIS REGINA



























  

3 comentários:

  1. Oi Tadeu, ótimo o seu blog!
    Gosto de Elis, mas quando vi a matéria, percebi que as duas primeiras fotos e algumas das enfileiradas abaixo da matéria não são de Elis Regina, e sim da atriz Hermila Guedes, caracterizada como a "Pimentinha"... Beijos e boa sorte!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Querida Amiga, obrigado pela observação. Foi removido a ordem das fotos e identificado quem é Elis Regina e quem é a sósia atriz Hermila Guedes. Mas as fotos da Hermila Guedes estão postadas porque ela representa tão bem a nossa Pimentinha e mata a saudade dos fãs dessa grande e eterna estrela da bossa-nova, do samba e da MPB. Bjs... te adoro.

    ResponderExcluir